terça-feira, 23 de junho de 2009

Toró Cultural movimenta Adamantina com 18 atividades em mais de 24 horas

O Toró Cultural, realizado no último fim de semana (20 e 21) em Adamantina pela Secretaria Municipal de Cultura de Adamantina, contou com 18 atividades culturais distribuídas em 26 horas de programação ininterrupta. Segundo os organizadores, em torno de 8 mil pessoas participaram das atividades.


O evento integra a programação dos 60 anos de Adamantina e compôs o conjunto de atividades comemorativas à data, com realização da Secretaria Municipal de Cultura e apoio do Governo do Estado de São Paulo – Secretaria de Estado da Cultura, Abaçaí Cultura e Arte, SESC Thermas de Presidente Prudente e Sincomércio.


A programação do Toró foi aberta no sábado (20), por volta das 21h, com a apresentação do Grupo Batuntã. Depois, outras duas atrações musicais com as bandas locais Umbigo e Projeto Folk. Depois, por volta de 1h da madrugada de domingo peça teatral Mal Secreto, com Mênades & Sátiros Cia de Teatro de Presidente Prudente. “Foi emocionante ver uma fila para o teatro, no início da madrugada”, relata o secretário municipal de cultura de Adamantina, Acácio Rocha.


Ainda durante a madrugada, a programação se desenrolou no Bar do Diogo e Bar do Tala, que foram parceiros na programação. Às 4h30 aconteceu o Pastel Eletrônico, com os DJs Renato Jacomini e Alan Barbosa, na Estação Recreio (feira livre).


Pela manhã a programação continuou na Estação Recreio com a Feira de Artesanato, das 8h às 12h. No mesmo local, participação do Grupo de Capoeira Filhos da Barra, trupe circense Sem Pé Nem Cabeça e o Duo Brasileiro de Violões, com os instrumentistas Euclides Marques e Luizinho Sete Cordas. Às 11h, no anfiteatro da Biblioteca Municipal, palestra “Dança Clássica Indiana Odissi – Guia de referência para iniciantes – com a bailarina Sônia Galvão e a produtora Márcia L. Cardoso.


No período da tarde as atividades se concentraram na Escola Fleurides Cavalini Menechino, em parceria com o Programa Escola da Família, onde aconteceram as apresentações ligadas ao movimento hip-hop com “Ilusões Vivas” (Fabrício “FB” e Jonatan “JC”), “Verdade Ativa” (Mano Tchula, Maicon e Denílson) e o b-boy Fernandinho (Force Style All Star). Depois, fase final municipal do Mapa Cultural Paulista, onde o grupo Space Black, coreografado por Bruno Henrique da Silva concorreu com a Academia de Dança Eveline Gualte. No final, os jurados votaram pela Academia Eveline Gualte, que em agosto irá representar Adamantina na fase regional de dança, no dia 23 de agosto em Tupi Paulista.


Às 18h a Banda Marcial de Adamantina se apresentou no Parque dos Pioneiros. Em seguida nova participação da trupe circense Sem Pé Nem Cabeça.


A programação continuou às 20h com a apresentação do espetáculo de dança Com-Fluência, no anfiteatro da Biblioteca Municipal. Depois, no palco da Praça Élio Micheloni, participação do Trio Quase Só Jazz. Encerrando o Toró Cultural, Banda Leela, atraindo público de Adamantina e região.


Desafio


O Secretário Municipal de Cultura de Adamantina, Acácio Rocha, explica que o primeiro rascunho sobre a realização de um evento no formato de “virada cultural” se deu no início do segundo semestre do ano passado, a partir da observação de uma produtora que acompanhava uma das atrações trazidas à cidade pelo Circuito Cultural Paulista. “Ela percebeu a movimentação existente na cidade e por já ter trabalhado na produção da Virada Cultural Paulista, nos provocou nesse sentido, montando inclusive uma programação inicial”, lembra.


A partir daí o rascunho foi transformado em projeto e iniciou-se o diálogo com parceiros, como a Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Unidade de Fomento e Difusão da Produção Cultural (UFDPC), dirigida por André Sturm. “Ele nos recebeu, conheceu e proposta e sinalizou a parceria, que foi efetivada com a contratação de atrações para a programação do Toró”, diz. “Outro parceiro importante foi o SESC Thermas de Presidente Prudente, com o endosso do Sincomércio local”, completa.


Destaca-se também a participação das atrações locais, que se ofereceram gratuitamente para a composição da programação, sem cobrança de cachê, bem como de parceiros como a FAI, Power Sound, Lopes Transportes e Papelex.


Com a data marcada, foram iniciados os trâmites de pré-produção, com a estruturação individualizada de cada uma das 18 atividades que compuseram o conjunto de ações do Toró Cultural. “Cada uma das atividades têm exigências e necessidades próprias, que foram previamente levantadas e distribuídas entre as diversas equipes que montamos com nosso quadro de funcionários e voluntários”, destaca. “Isso permitiu uma distribuição de tarefas que não sobrecarregasse ninguém, principalmente por se tratar de uma programação ampla e qualquer problema em uma das atrações poderia comprometer as demais”, diz.


No Toró Cultural trabalharam cerca de 40 pessoas, entre funcionários da Secretaria Municipal de Cultura e demais setores da Prefeitura e voluntários, que sempre se dispõem a colaborar na realização das atividades culturais. “É muito gratificante ver pessoas que poderiam estar apenas assistindo à programação, e se doam ao trabalho voluntário. Obrigado ao prefeito Kiko Micheloni pela confiança e oportunidade e a cada um dos envolvidos no Toró Cultural, pela parcela de contribuição na construção de uma cidade melhor”.


Confira todas as fotos do Toró Cultural AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participou? Comente!